0

Você sabia que, em 1940, a expectativa de vida do brasileiro era de 45,5 anos? E que, antes disso, ele não chegava nem aos 30? Nos dias de hoje, é difícil — e até assustador — imaginar esse cenário, afinal, é cada vez mais comum ver pessoas chegarem ao que os cientistas têm chamado de “a quarta idade”.

Assim, nasce uma nova categoria para aqueles que já passaram dos 80 anos de idade. Isso mostra o quanto a expectativa de vida tem aumentado e como é necessário encontrar novas maneiras de tornar o envelhecimento cada vez mais saudável.

Para isso, é preciso, primeiro, entender quais são os desafios enfrentados por idosos que alcançaram a quarta idade. Para descobrir, continue sua leitura!

Dificuldades de locomoção

Embora o processo de envelhecimento seja único, uma das queixas mais recorrentes entre pessoas idosas e, principalmente, entre aquelas que já alcançaram a quarta idade, são as dificuldades na locomoção.

A massa muscular se torna mais frágil nessa idade, principalmente pela perda de cálcio que ocorre nos ossos. Por isso, é natural que pessoas da quarta idade andem com maior lentidão e precisem de um maior cuidado ao subir ou descer escadas.

É importante ter atenção nesse ponto para evitar que haja quedas e, consequentemente, fraturas e lesões pelo corpo, já que nessa idade a recuperação é muito mais lenta. 

Mudanças na alimentação

A alimentação dos idosos passa a ser diferenciada mesmo antes da quarta idade, quando o corpo passa a absorver nutrientes com uma lentidão maior. A deglutição também acontece com mais dificuldade, então é importante definir um cardápio especial e procurar orientação de um nutricionista.

Os idosos que perdem os dentes e não podem contar com implantes sentem mais dificuldade que outros. A perda do apetite também pode ocorrer, portanto, a alimentação do idoso na quarta idade deve ser acompanhada de perto para evitar incidentes como a inalação de pedaços de alimentos.

Diminuição do convívio social

A diminuição do  convívio social é uma realidade muito comum na quarta idade, pois o idoso desempenha menos atividades que antes e, consequentemente, passa a ter menos convívio com outras pessoas.

Viver em contato com o mundo externo é essencial para todos os seres humanos, mesmo aqueles de idade mais avançada, mas, depois da aposentadoria, da saída dos filhos de casa e de algumas limitações físicas, a vida do idoso tende a cair na ociosidade.

É sempre importante incluir esse aspecto da vida do idoso nos cuidados da rotina, pois ele é responsável por boa parte do bem-estar e da sanidade metal de quem já alcançou a quarta idade.

Saúde mais fragilizada

A queda da imunidade é uma realidade na terceira e quarta idade, assim como a dificuldade do organismo de absorver os nutrientes. Isso abre portas para um maior risco em relação a saúde e integridade física.

Alguns problemas cardiovasculares podem ocorrer, assim como a hipertensão ou diabetes. Para diminuir os riscos de desenvolver esses problemas é preciso recorrer a uma alimentação balanceada, incentivar a prática de exercícios físicos, assim como promover o desenvolvimento psicológico e cognitivo do idoso da quarta idade.

Limitações psicológicas

Além de problemas físicos, alguns idosos da quarta idade podem enfrentar problemas de ordem psicológica. A maioria desses problemas surge com a idade, mesmo que o idoso não tenha apresentado nenhum histórico da doença enquanto era mais jovem.

Muitos desses problemas começam a se desenvolver depois que a pessoa com idade avançada começa a ter de enfrentar alguns dilemas dessa fase, como o isolamento social, o abandono familiar, as limitações impostas por algumas doenças, a perda de alguns aspectos estéticos e assim por diante.

Transtornos mentais, como a  depressão, podem ser evitados com a ajuda de familiares e amigos, estimulando a independência, boa saúde física, convívio social, entre outras dicas que citamos no fim deste post.

Busca por novos horizontes

O bem-estar do ser humano e sua autoestima estão ligados às suas realizações pessoais, à forma como cada um se enxerga, à sua capacidade de superar desafios, à sua independência e à interação com outras pessoas.

A própria pirâmide de Maslow nos mostra como as pessoas separam suas aspirações pessoais e como isso impacta suas vidas na busca por nutrir suas necessidades fisiológicas, manter a segurança da família, ter um amor, ter status e reconhecimento, desenvolver talentos e criatividade e alcançar o desenvolvimento pessoal.

Tudo isso mantém as pessoas ocupadas durante a juventude, mas, na terceira idade, muitos desses aspectos desaparecem, dando espaço a problemas no lugar de soluções. Por esse motivo, é essencial inserir novos desafios na vida do idoso, procurar novos objetivos e aspirações, que abrem horizontes e garantem força de vontade para continuar realizando sonhos.

Prioridade e tratamento especial

Cada um envelhece de uma maneira e sempre torcemos para que nós e nossos familiares tenhamos boa saúde física e mental nessa etapa da vida, mas, na quarta idade, algumas limitações podem ser mais fortes.

Nessa fase, é comum que os idosos precisem de fisioterapias especiais, tratamentos médicos específicos, além de medicações controladas.

Isso, muitas vezes, acarreta na necessidade de acompanhamento no dia a dia, ao se levantar, alimentar-se, fazer a higiene pessoal e realizar outras tarefas simples. Essas necessidades requerem um tratamento especial, muitas vezes, sendo necessário procurar por ajuda profissional.

De uma forma geral, existem muitas maneiras de oferecer mais qualidade de vida para as pessoas que alcançaram a quarta idade, mas é importante estar consciente de que a idade avançada traz mudanças e que, mesmo fazendo o melhor que pudermos, a garantia de saúde plena é muito relativa, dependendo de vários fatores.

Hoje, as mudanças na medicina trazem notícias cada vez mais otimistas para quem está na quarta idade, mas sempre é possível tomar alguns cuidados, como:

  • incentivar a prática de exercícios físicos o mais cedo possível;
  • procurar ajuda profissional e elaborar um cardápio adequado;
  • oferecer tratamento médico adequado;
  • fazer consultas e exames de rotina;
  • procurar por um cuidador de idosos;
  • incentivar o convívio social, visitas da família e viagens;
  • estimular o idoso com jogos e atividades;
  • proteger o idoso de maus tratos;
  • incluir o idoso nas decisões da família;
  • deixar que ele expresse sua opinião e conte suas histórias.

Além dessas dicas sobre os cuidados com os idosos na quarta idade, existe mais uma coisa que, sem dúvidas, é essencial para que o idoso tenha uma vida mais feliz: o amor. Porém, como isso afeta o bem-estar de quem já está nessa fase da vida? Nós conversamos sobre isso em um post aqui no blog!

Gostou do Blog? Deixe uma uma resposta

Está de saída?

Assine nossa newsletter
e seja o primeiro a saber
sobre nossos blogs e
outras novidades.
inscrever-se
close-link
WhatsApp Logo