0

O luto é um período muito complicado. Afinal de contas, saber administrar a perda de um ente querido nunca será tarefa fácil.

Mortes súbitas ou inesperadas têm a capacidade de gerar sentimentos dolorosos para quem fica, especialmente pessoas mais velhas. Entretanto, o luto na terceira idade é um processo bastante comum e, por isso, oferecer apoio para amenizar a tristeza consiste em algo primordial.

Por isso, neste post abordamos as principais medidas que podem ser adotadas para que a vida do idoso ganhe um pouco de tranquilidade durante o luto. Continue a leitura e entenda, entre outros aspectos, quando procurar ajuda profissional.

Quais são os principais desafios do luto na fase senil?

A aflição gerada pela morte é um processo influenciado por diversos aspectos na vida de cada indivíduo. Em linhas gerais o idoso tende a apresentar maior dificuldade, sobretudo por conta de sua fragilidade psicológica e capacidade física reduzida. Afinal, nesse tipo de situação os níveis de estresse geralmente sobem.

Contudo, é preciso considerar que todo tipo de reação varia de acordo com a pessoa. Momentos de tristeza, culpa, ansiedade e quadros de depressão, por exemplo, são inevitáveis em determinadas ocasiões. Outro fator muito comum é o isolamento do convívio social.

Após passar décadas ao lado de um parceiro (a) e vê-lo (a) partir, a intenção do idoso de buscar afastamento figura como processo natural da dor. Tendo em vista esse cenário, é fundamental que familiares e amigos mais íntimos marquem presença, oferecendo o máximo de atenção e carinho.

O que fazer para amenizar o luto na terceira idade?

Como destacamos anteriormente, o momento da morte pode resultar em uma série de problemas para pessoas idosas. Diante do sofrimento, a manifestação de sentimentos negativos e o comprometimento da saúde física e emocional são cenários costumeiros.

Por isso entender como apoiar aqueles que estão em luto é tão importante. Confira, a seguir, algumas ações úteis para aliviar a angústia.

Converse com a pessoa enlutada

O trabalho emocional em função de perdas importantes na família é um meio de transmitir conforto. Por outro lado, a solidão pode agravar o quadro de luto.

Sendo assim, devemos considerar a presença de amigos e parentes preparados para lidar com esse momento. Além disso, demonstrar empatia autêntica com a dor do outro é, por si só, alentador.

Proporcione momentos de distração para o idoso

Sair de casa, fazer passeios e praticar atividades físicas ajuda a amenizar a angústia do luto. Concluir esse processo de forma adequada passa diretamente pela capacidade do indivíduo em superar a perda.

Nada disso, porém, significa que o falecido (a) foi esquecido, mas sim que suas memórias não estarão sempre em evidência na vida do idoso.

Deixe-o viver o luto

A morte está relacionada ao evento mais delicado da nossa vida, justamente pela perda de um familiar. Por isso é importante viver o luto em todas as suas fases, pois sem esse processo o ciclo jamais terá um fim.

Superar a morte de alguém próximo provoca a reconstrução do idoso enquanto pessoa. De modo geral, passar por esse processo de transformação é o que nos permite seguir em frente.

Concluindo, é natural que o luto na terceira idade seja um momento extremamente doloroso. No entanto, alguns casos podem ser ainda mais sérios, como quando o enlutado não consegue de forma alguma superar suas lembranças de angústia e dor.

Considerando o contexto, é necessário o auxílio de profissionais qualificados caso o idoso esteja severamente afetado pela perda. Pense nisso!

E aí, o que achou das dicas do post? Ficou com dúvidas ou deseja compartilhar sua experiência conosco? Deixe um comentário!

Gostou do Blog? Deixe uma uma resposta

Está de saída?

Assine nossa newsletter
e seja o primeiro a saber
sobre nossos blogs e
outras novidades.
inscrever-se
close-link
WhatsApp Logo